Tecnologia traz economia e rapidez para a construção

Construtoras no mundo todo estão investindo em inovações disruptivas para reduzir custos e desperdícios e ampliar eficiência

Casas construídas em 24 horas por meio de impressão 3D. Drones que avaliam a temperatura de revestimentos cerâmicos. Uso da inteligência artificial para prever problemas, como distratos de imóveis com até um ano de antecedência, ou internet das coisas para predizer o desgaste de peças em elevadores. No mundo inteiro, inovações disruptivas ou incrementais chegam ao setor da construção civil.

“A adoção de algumas dessas tecnologias ainda engatinha no Brasil, já que o setor está saindo de uma crise de quatro anos”, diz o diretor de Operações da Even, Marcelo Morais. Segundo ele, as construtoras investiram principalmente em formas de reduzir custos e desperdícios e ampliar eficiência, como o uso de plataformas de Business Intelligence (BI) ou de Modelagem de Informação da Construção (BIM, da sigla em inglês).

Drone escala os 58 andares da torre Paramount, em Miami. Foto: Saul Martinez para The New York Times

A Even, por exemplo, adquiriu há dois anos um módulo específico de projetos de BI, um sistema de modelagem de dados usado para fazer previsões de cenários e embasar a tomada de decisão. “A gente levou um ano para customizar a ferramenta e hoje conseguimos uma gestão detalhada de todas as obras em um único sistema, que pode ser acessado pelo celular. Qualquer revisão do projeto pode ser feita na obra”, explica Morais. Com o uso da ferramenta, o responsável consegue prever, entre outras questões, o impacto que o atraso pontual de um produto ou serviço pode causar em uma ou várias obras ao mesmo tempo.

Leia o conteúdo completo aqui

Compartilhe essa notícia